terça-feira, 20 de abril de 2010

Chupeta: prós e contras



Muito se discute sobre dar ou não dar a chupeta para o bebê. Minha mãe sempre diz que é desnecessário, minha tia já acha que é melhor, a vizinha acha aquilo, a vó isso... são tantas opiniões diferentes que acabamos em dúvida, mas, afinal, até que ponto a chupeta é aceitável?

A chupeta deixa de ser aceitável quando utilizada por períodos muito prolongados, pois pode provocar alterações no crescimento dos dentes da criança, como inclinação dos dentes, mordida aberta e dificuldade para fechar os lábios. Entretanto, atualmente existem chupetas que minimizam essas consequências, como por exemplo as chupetas ortodônticas, que permite que a boca da criança fique praticamente fechada, a língua presa e o bico da chupeta encosta-se no céu da boca, permitindo que os dentes nasçam corretamente, diferentemente das chupetas convencionais.

A chupeta pode ser utilizada para acalmar o bebê, no entanto, não ofereça sempre, pois pode-se criar um hábito. Além disso, o uso contínuo pode resultar em um aumento de gases, pois com a sucção a criança engole mais ar, o que resulta em um aumento do volume de gases intestinais e maior intensidade de cólicas.

A idade mais recomendada é até um ano e meio no máximo, sendo assim é importante que os pais trabalhem para que a criança deixe a chupeta o quanto antes, pois quanto mais tempo, mais cria-se o hábito e fica difícil de largar.

Considerando as várias fases de crescimento e desenvolvimento, temos três idades limites para a criança largar a chupeta:

1º ano: funcional- para preservar as funções bucais musculares, principalmente a respiração e a mastigação, a chupeta deveria ser retirada assim que nascessem os primeiros dentes. Este é um sinal orgânico inclusive para parar com a amamentação e o início da introdução de uma dieta sólida.
Retirar a chupeta antes de um ano de idade é o ideal para a manutenção da funcionalidade ideal da boca e da face.

2º ano: da forma- para preservar a forma dos arcos dentários o ideal seria retirar da chupeta até os três anos de idade. Nesta fase, mesmo já existindo alguma alteração da forma dos arcos, a plasticidade óssea e da posição dos dentes, permite que eles retornem a posição normal sem maiores danos.

3º ano: da emoção- esta fase é definida pela maturidade emocional da criança e como os familiares reagem perante ao mau hábito.

Retirar a chupeta nunca pode ser acompanhada por um momento de frustração e/ou desconforto físico e emocional.Deve ser feito gradualmente com o apoio da mãe e dos familiares, através de muita conversa. Punições não recomendadas, deve-se sempre mostrar os benefícios, assim cria-se uma vontade na criança de querer largar a chupeta. Uma boa assimilação é "dar a chupeta para o papai noel/coelhinho da páscoa".

A missão é difícil, mas não impossível. Com calma e muita conversa, chega-se lá!

Baby & Co - o Blog do Bebê mais antenado do Brasil!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário